Notícias & Novidades

Doenças crônicas: fisioterapia pode ser capaz de reduzir seus impactos

Publicado em 05 de setembro de 2018

Ao longo das décadas, a fisioterapia vem conquistando cada vez mais áreas clínicas, tanto em relação a ações secundárias quanto nas ações primárias, o que é de extrema importância para a saúde pública. Se, outrora, a atuação do fisioterapeuta se limitava aos pacientes sequelados (sendo crônico ou não), determinando os tratamentos com uma visão restrita dos centros de reabilitação, a realidade assistencial dessa profissão mudou muito.

Para se ter noção da dimensão do quão solidificada está se tornando a fisioterapia, basta relembrar como o acesso a hospitais era visto como um acontecimento pouco provável, sendo que hoje já é possível encontrar ações preventivas e/ou precoces sendo realizadas por fisioterapeutas em todo o país.

Clínica de fisioterapia tem papel importante no tratamento de doenças crônicas

Ao investir em medidas de saúde voltadas para a prevenção de doenças, futuramente, o país contará com condições de cronicidade mais controladas e menos alarmantes. Ainda que haja uma tendência natural ao aumento da expectativa de vida, o que, consequentemente, torna as morbidades mais evidentes, a política de prevenção ainda é a ação mais eficiente contra doenças crônicas a longo prazo.

A cada dia, é possível constatar uma quantidade alarmante e crescente de pacientes crônicos. Se, por um lado, a prevenção deve ser um investimento profissional de grande intensidade, por outro lado, não se deve deixar de atuar, de forma igualmente intensa, junto aos quadros crônicos já solidificados. Isso se deve não apenas pela seriedade da condição, mas também para evitar (mesmo nos piores quadros) situações patológicas associadas.

Falta de investimento

Infelizmente, os tratamentos fisioterápicos para doenças crônicas nem sempre são incentivados nas clínicas de fisioterapia, e isso não é percebido nem pelos próprios profissionais.

É perceptível um interesse maior direcionado aos procedimentos que se tornaram tendências, contudo situações de morbidade nem sempre recebem o devido empenho que demandam. Porém, como citado anteriormente, o papel da fisioterapia é inquestionável, e se os profissionais não ocuparem essa lacuna de forma mais incisiva e consciente, muitos outros quadros graves, certamente, mostrar-se-ão futuramente.

Clínica de fisioterapia pode prestar atendimento no tratamento do câncer

As doenças crônicas não-transmissíveis, entre elas o câncer, problemas de pressão arterial, problemas no coração, respiratórios e ainda a diabetes, são os principais responsáveis por mortes precoces no país.

Advindos de diversos fatores, como sedentarismo, obesidade, tabagismo e alcoolismo, são condições que acarretam limitação funcional, dor, patologias associais, dentre outros problemas.

A partir do momento em que a prevenção deixa de ser uma opção, o diagnóstico precoce seguido de um tratamento multidisciplinar é a solução essencial para a manutenção da vida. Lembrando que também é preciso diminuir a exposição do paciente a fatores que possam influenciar negativamente, assim como ter uma assistência fisioterápica aliada aos medicamentos corretos para diminuir os impactos físicos, psicológicos e emocionais do paciente e ampliar sua qualidade de vida.

Os fisioterapeutas são essenciais e um dos principais auxiliadores no tratamento e na prevenção de doenças crônicas, como o câncer. Também, a fisioterapia vem abarcando cada vez mais áreas clínicas a cada ano que passa, com profissionais mais capacitados e prontos para o atendimento correto e individualizado de cada caso.

 

Fonte: Terra

Veja Mais